LEMBRA-SE DE: O TYRRELL DE SEIS RODAS


O Tyrrell P34 surpreendeu o mundo da Fórmula 1 em 1976 por possuir mais duas rodas que o normal

Um dos mais emblemáticos monolugares da história da Fórmula 1 foi o Tyrrell de seis rodas. Corria o ano de 1976 e todas as equipas trabalhavam afincadamente nos novos regulamentos aerodinâmicos. Derek Gardner, designer da Tyrrell, pensou em reduzir o tamanho das rodas

dianteiras para diminuir a resistência ao ar, mas os pneus mais pequenos teriam pouca aderência.

Assim, optou pela invulgar solução de montar dois eixos à frente, criando o primeiro carro de seis rodas da F1.

O momento de glória aconteceu no Grande Prémio da Suécia, quando Jody Scheckter venceu a corrida à frente do seu colega Patrick Depailler,

depois de terem aproveitado o abandono do Lotus de Mario Andretti.

Infelizmente, o P34 atingiu aí o pico da sua evolução, tudo por culpa da Goodyear, que não queria desenvolver os pneus pequenos que a Tyrrell precisava, levando Scheckter a abandonar a equipa. O monolugar ainda correu em 1977, mas com problemas de suspensão e sem pneus performantes, ficou desatualizado face à concorrência.

Uma série de miniaturas de brinquedo da Corgi manteve a sua popularidade com as novas gerações desde a década de 80, bem como o boneco Drag Strip, um Transformer. Outros projectos de seis rodas, da March, Williams e Ferrari, nunca participaram numa corrida, sempre se poupou em pneus.

O ÚNICO VENCEDOR

Jody Scheckter foi o único piloto a vencer uma corrida com o P34, no GP da Suécia. O piloto sul-africano começou a sua carreira como terceiro

piloto da McLaren em 1973, mas em 74 foi contratado por Ken Tyrrell para substituir o grande Jackie Stewart.

FACTOS

Estreou-se no GP de Espanha de 1976 Disputou um total de 30 corridas em 76 e 77 Conquistou uma vitória, na Suécia em 76 Teve três pilotos: Jody Scheckter, Patrick Depailler e Ronnie Peterson