Lembra-se de: A maior desilusão (desportiva) da vida de Felipe Massa…


Pouco tempo depois de perder o título Mundial de Fórmula 1 para Lewis Hamilton, numa história que todos se lembram perfeitamente embora tenha já sucedido há 10 anos,  Felipe Massa regressou ao volante do seu Ferrari F2008 nos testes de Jerez de la Frontera, e apesar de não estar ainda totalmente recuperado da doença que atrasou em dia e meio o início dos seus trabalhos, apareceu no Sul de Espanha bem disposto e muito motivado para conseguir no ano seguinte o que lhe escapou da forma mais cruel possível nos últimos instantes da temporada de 2008: o título mundial.

Sempre com um sorriso nos lábios, o paulista começou por dizer, na altura, que, «é claro que fiquei desiludido por ter perdido o Mundial, mais a mais daquela maneira, mas no dia seguinte, ou até poucas horas depois do final da corrida, a desilusão já tinha passado. Não sou pessoa para ficar agarrado ao que aconteceu, gosto é de olhar em frente e, por isso, na segunda-feira a seguir à corrida já só estava a pensar no próximo na próxima temporada.»

 

 

Olhar em frente Quando quisemos saber se, mesmo assim, Massa lamentava em particular algum dos muitos pontos perdidos ao longo do último Mundial, o brasileiro manteve a mesma postura, afirmando que, «não vale a pena estar a olhar para trás. Perdemos muitos pontos, como dizes, tanto por erros meus como da equipa, por problemas mecânicos e a verdade é que bastava apenas mais um ponto para o resultado final do Mundial ter sido diferente. E esse ponto poderia ter sido ganho em qualquer corrida, por isso não vale a pena olhar para trás e ficar a pensar no que poderia ter acontecido. E não nos podemos esquecer que os nossos rivais também perderam muitos pontos, por muitas e variadas razões, pelo que esse tipo de exercício não nos leva a lado nenhum. Quero sim é olhar em frente.»

Também correram o mundo as imagens da família Massa, nas boxes da Ferrari, a festejar no final do GP do Brasil no pleno convencimento que Felipe tinha ganho o Mundial, antes de serem avisados por um mecânico da Ferrari que Hamilton passara Glock na última curva, garantindo para si o título. Era impossível estar com o brasileiro sem saber se o assunto tinha sido falado em casa, e foi com um grande sorriso que Massa explicou que, «para eles a desilusão foi muito maior, pois estavam a seguir toda a ação em direto, enquanto eu só podia saber o que me diziam pela rádio, pois estava meia pista na frente dos outros. Foi duro para mim quando me disseram que o Hamilton tinha sido quinto, pois sabia que ele estava em luta direta com o Vettel e ninguém me tinha falado do Glock, mas para a minha família, que estava colada ao ecrã, concentrada na luta do Hamilton com o Vettel, quando o Sebastian acabou na frente do Lewis a explosão de alegria foi enorme.

Penso que em casa quase ninguém percebeu que o Glock tinha sido passado. Fiquei triste por eles, mas um mês depois dos acontecimentos, até o meu pai já conseguia rir da situação!» Ainda mais motivado Tendo falhado o título mundial por tão pouco, o piloto brasileiro da Ferrari só tinha um objectivo em mente: «Toda a minha vida, desde que comecei a correr no karting, sempre iniciei cada campeonato com a firme intenção de o vencer e em 2009 as coisas não iriam ser ser diferentes. Mas admito que depois de ter estado tão perto de ser Campeão do Mundo, fiquei ainda mais determinado, ainda mais motivado do que nos anos anteriores, para conseguir alcançar esse objectivo.
De qualquer maneira, estou muito orgulhoso do que fizemos na temporada de 2008, pois ganhámos mais corridas, marcámos muitos pontos, andámos sempre na luta pelo título e reagimos sempre de forma positiva a todas as adversidades. Penso que demonstrei que tinha capacidade para ser Campeão do Mundo, provando que muita gente estava enganada a meu respeito. Evolui muito e continuei a melhorar, pois era apoiado por uma equipa fantástica, que tudo faz para dar as melhores condições aos seus pilotos. E era também pela equipa que queria chegar ao título em 2009» disse Massa.

Mas isso nunca sucedeu, pois no ano seguinte teve um grave acidente na Hungria, em que quase perdeu a vida, e depois daí a sua carreira entrou numa fase descendente. Manteve-se na Ferrari até 2013, mas aquela vitória de 2008 no Brasil foi mesmo a última da sua carreira. Coisas da vida…