/formula1/f1/f1-amr24-e-uma-forte-evolucao-do-seu-antecessor/
F1: AMR24 é “uma forte evolução” do seu antecessor | AutoSport

F1: AMR24 é “uma forte evolução” do seu antecessor

Por a 12 Fevereiro 2024 08:35

Depois da Aston Martin ter alcançando oito pódios em 2023, surpreendendo pelo início forte de temporada com o AMR23, a equipa de Silverstone quer mais do que o quinto lugar no mundial de construtores para a próxima época da Fórmula 1. Com o objetivo de lutar com as equipas do topo da classificação, a estrutura liderada por Lawrence Stroll e Mike Krack apresenta um monolugar que é uma evolução do carro do ano passado.

Dan Fallows, diretor técnico da Aston Martin, admite que o AMR24 é uma “forte” evolução do AMR23, que recordamos, não teve o melhor desenvolvimento numa segunda fase da temporada passada, precisando a equipa de dar um passo atrás e reverter algumas das suas decisões quanto ao rumo a tomar. 

O diretor técnico da equipa britânica explicou como a Aston Martin abordou o desenvolvimento AMR24. “Mesmo com os regulamentos estáveis, existem infinitas possibilidades de melhorias. Eu diria que o AMR24 é uma forte evolução do carro do ano passado e tem um aspeto bastante diferente, com muitas peças novas que nos dão uma plataforma forte para o seu desenvolvimento. O design do chassis é novo, bem como o ‘nariz’, a asa dianteira, a suspensão dianteira e a suspensão traseira.  Queremos competir na ‘corrida’ de desenvolvimento desta época e este carro foi concebido para isso mesmo”. O engenheiro que se juntou à equipa em 2022 acrescentou que “outra área do nosso foco foi alargar a janela de funcionamento do carro. Concentrámo-nos numa maior versatilidade para um tipo mais vasto de características específicas dos circuitos. Queremos um carro de corrida que seja mais polivalente. Acreditamos que o AMR24 proporciona a plataforma ideal para o desenvolvimento durante a época e para um desafio sustentado ao longo de 2024”.

Quanto às novidades do AMR24, o design da asa dianteira foi alterado para ajudar a gerir o efeito do ar ‘sujo’ das rodas dianteiras de uma forma mais eficiente. Combinado com as pequenas asas (winglets) sobre as rodas, o objetivo é controlar o ar dos pneus dianteiros e afastá-lo do resto do carro para permitir que as outras superfícies que produzem ‘downforce’ trabalhem de forma mais eficiente.  

A atual era dos regulamentos da F1 colocou uma enorme ênfase no design do fundo e dos flancos (sidepods). A Aston Martin reviu os flancos e carroçaria do AMR24 em comparação com o seu antecessor, para melhorar a gestão do fluxo de ar à volta do fundo e sobre a asa traseira.   

“O piso é a maior área de geração de força descendente num carro de F1 e está em constante evolução. Fazê-lo corretamente será de extrema importância para o nosso sucesso em 2024”, disse Dan Fallows sobre a evolução apresentada hoje.   

O AMR24 utilizará uma geometria de suspensão ‘push-rod’ tanto à frente como atrás. Isto significa que o conjunto das rodas está ligado ao chassis por uma estrutura diagonal, com um ponto mais elevado na carroçaria do carro. 

A suspensão dianteira foi alterada para melhorar o desempenho em conjunto com a asa dianteira e o fundo, enquanto a suspensão traseira foi otimizada para maximizar a eficiência do fluxo de ar em torno da asa traseira, acomodando a mais recente unidade motriz e caixa de velocidades da Mercedes. 

Fallows explicou que “foi realizado trabalho em ambas as extremidades da suspensão do carro. A dianteira vai trabalhar de forma mais eficiente ao lado da asa dianteira, e foi feito trabalho aerodinâmico na traseira para otimizar a nossa disposição nessa área”.

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo
últimas Automais
autosport-exclusivo