Bernie Ecclestone quer compromisso das equipas com a F1

Por a 26 Janeiro 2009 10:47

Isto porque o britânico não acredita que a redução dos custos se mantenha por muito tempo, afirmando ao jornal Daily Telegraph que as equpas encontram sempre maneiras de contornar as regras e de gastarem mais.

“Se os construtores estiverem preparados para um compromisso a longo-prazo, digamos sete a dez anos, deveríamos deixá-las gastar o que quisessem gastar, desde que forneçam motores e caixas de velocidades a preços acessíveis”, disse o britânico de 78 anos.

“Se as equipas vão aceitar isto eu não sei. Fazê-las acordar nalguma coisa sempre foi um problema. Mas se o fizessem preveniam o tipo de coisas que se passaram com a Honda porque poderíamos processá-los se saíssem [da F1]. Eles não iriam gostar disso”, acrescentou Ecclestone, confessando ainda que “sempre fui contra o KERS”, ainda para mais com as dificuldades financeiras actuais.

“O que quer que se use num F1 não vai ser usado num carro de estrada, mas se é esta a ideia, porque não desenvolvê-lo nos carros de turismo? Este sistema custa muito dinheiro quando a ideia é tentar poupá-lo”, considerou.

Para além disso, é da opinião que as equipas poderiam ter três monolugares por forma a contar com mais carros em pista, aumentando o espectáculo e a competição: “Se os construtores podem oferecer motores a outras equipes, também podem construir três carros para si”, concluiu.

últimas FÓRMULA 1
últimas Autosport