Lembra-se de Bernd Schneider: Senhor DTM


Bernd Schneider é hoje em dia embaixador da Mercedes-AMG, marca com que passou grande parte da sua carreira. Há precisamente 10 anos, anunciou o fim da sua carreira, mas como sucede muitas vezes, o ‘bichinho morde com força’ e há dois anos fez mais duas épocas na Blancpain Sprint Series, onde obteve mais alguns pódios e venceu mesmo uma corrida.

Mas foi há 10 anos que pendurou oficialmente as ‘botas’. Antes, tinha sido cinco vezes campeão no DTM, foi o recordista de participações e de vitórias na competição, com 223 corridas e 42 triunfos, colecionando ainda 1747,5 pontos (segundo, atrás de Klaus Ludwig), 24 pole-positions e 60 voltas mais rápidas.
Nascido em St. Ingbert, perto de Saarbrucken, em 20 de Julho de 1964, começou nos karts e nas fórmulas promocionais, chegando até à Fórmula 1. A sua primeira participação no DTM foi em Zolder, em 1986, quando ainda estava na F3, e até 1989 participaria apenas ocasionalmente no campeonato, sempre ao volante de um Ford Sierra.

Sem perspetivas de permanecer na F1, Schneider foi recrutado pela Zakspeed para fazer a segunda metade da época de 1991, com um AMG-Mercedes 190E. As suas classificações nos pontos (incluindo uma subida ao pódio) abriram-lhe as portas para integrar a equipa oficial, em 1992, podendo finalmente mostrar o seu talento ao volante. No primeiro ano com a equipa, é terceiro no campeonato, posição que repete em 1993. Em 1995, atinge finalmente a consagração, tanto no DTM, como na sua nova iteração, o ITC (Campeonato Internacional de Turismo), que Schneider ganha também. No entanto, os custos subiram dramaticamente em 1996 e Schneider, derrotado no confronto direto com o campeão Manuel Reuter, teve que esperar até 2000 para renovar o título.

Durante o interregno do DTM, permaneceu ligado à Mercedes, pelo que não foi surpresa ter sido chamado para pilotar o novo CLK V8 quando o campeonato foi ressuscitado em 2000. Reunindo-se em pista com alguns dos seus velhos adversários, derrota-os com uma grande vantagem por dois anos consecutivos. Vice-campeão em 2002, vingou-se em 2003. Um período conturbado na sua vida pessoal afetou as suas prestações nos anos seguintes, mas Schneider conquistou mais um título, o quinto e último em 2006. Já com mais de 40 anos, continuou a ganhar corridas até 2008, quando optou por retirar-se da competição que o tornou famoso.

Passagem pela F1
Tal como muitos jovens, Bernd Schneider começou a sua carreira nos monolugares, tendo inclusive conquistado o título alemão de Fórmula 3, em 1987, ao volante de um Dallara-VW da equipa Schubel. Em 1988, Schneider estreou-se na F1, ao volante de um Zakspeed. No entanto, apesar de ter ficado na equipa alemã por duas épocas completas, apenas se qualificou em oito corridas (a primeira das quais no México em 1988) e nunca pontuou. Em 1990, Schneider ainda esboçou um regresso à F1, como substituto ocasional na equipa Arrows, mas apenas se qualificou mais uma vez.

Rapidinha no FIA GT
Entre a F1 e o DTM, Bernd Schneider fez uma “perninha” nas corridas de resistência. Em 1990 e 1991, foi piloto da Kremer e da Joest no Mundial de Grupo C, vencendo ainda a Intersérie num Porsche 962, em 1990. Com o interregno do DTM após 1996, a Mercedes-Benz mudou-se para o Campeonato FIA GT, e o piloto alemão foi recrutado para pilotar o CLK-GTR, vencendo o título em 1997 com seis vitórias. Acumulando com mais cinco triunfos no ano seguinte. Participou também nas 24 Horas de Le Mans, mas o ‘loop’ aéreo do CLR de Mark Webber impediu-o de conquistar o sucesso.

Palmarés
2008 – 6º no DTM (34 p, uma vitória), Mercedes.
2007 – 6º no DTM (31,5 p, uma vitória), Mercedes.
2006 – Campeão DTM (71 p, duas vitórias), Mercedes.
2005 – 4º no DTM (32 p, uma vitória), Mercedes.
2004 – 6º no DTM (36 p, uma vitória), Mercedes.
2003 – Campeão DTM (68 p, duas vitórias), Mercedes.
2002 – Vice-campeão DTM (64 p, duas vitórias), Mercedes.
2001 – Campeão DTM (161 p, três vitórias), Mercedes.
2000 – Campeão DTM (221 p, seis vitórias), Mercedes.
1999 – 24h Le Mans, (ab.), Mercedes.
1998 – Vice-campeão FIA GT (69 p, cinco vitórias) e 24h Le Mans (ab.), Mercedes.
1997 – Campeão FIA GT (72 p, seis vitórias), Mercedes.
1996 – Vice-campeão ITC (205 p, quatro vitórias), Mercedes.
1995 – Campeão DTM (138 p, cinco vitórias) e Campeão ITC (155 p, seis vitórias), Mercedes.
1994 – 10º no DTM (86 p, duas vitórias), Mercedes).
1993 – Campeão DTM (172 p, três vitórias), Mercedes.
1992 – 3º no DTM (191 p, quatro vitórias), Mercedes.
1991 – 15º no DTM (26 p), Zakspeed-Mercedes. 24º no WSPC (12 p), Joest-Porsche.
1990 – F1 (uma corrida), Arrows. Campeão Interserie (97,5 p, quatro vitórias), Kremer.
1989 – F1 (duas corridas), Zakspeed.
1988 – F1 (seis corridas), Zakspeed.
1987 – Campeão F3 Alemã (140 p, sete vitórias) e 3º GP Macau, Dallara-VW.
1986 – 4º na F3 Alemã (94 p, uma vitória), Dallara-VW.
1985 – 5º na F.Ford 2000 europeia.
1984 – Vice-campeão F.Ford 1600 alemã.