WTCR: Hyundai de luxo para 2019

Por a 3 Dezembro 2018 15:17

Se 2018 foi um ano em grande para o WTCR, 2019 começa a tomar forma e parece ter ainda mais motivos de interesse. Pelo menos a Hyundai, que este ano esteve fortíssima, vai continuar a sua apostar forte nesta competição e apesar da troca de Yvan Muller e Thed Bjork, que irão representar as cores da Lynk&Co a marca do grupo chinês que detém a Volvo e que ser irá mostrar ao mundo graças ao WTCR, com a Cyan Racing a supervisionar as operações.

Mas a Hyundai tratou de ir buscar dois grandes nomes para ocupar as duas vagas deixadas vagas para o próximo ano. Nada mais nada menos que Nick Catstburg e Augusto Farfus, que juntamente com Gabriele Tarquini e Norbert Michelisz, constituirão o quarteto que estará aos comandos dos poderosos i30N TCR.  Tendo em conta que apenas serão autorizados dois carros por equipa em 2019, resta entender quais as equipas que estarão envolvidas neste programa, sendo que pela lógica, a BRC deverá continuar.

Para Tarquini e Michelisz é a opção mais lógica para 2019. Tarquini irá completar 57 anos em 2019 e deverá continuar a ser o piloto mais velho do grid, mas nem por isso o menos competitivo. O italiano mostrou que tem ainda capacidade para chegar aos objetivos traçados:

“Depois de vencer o WTCR no primeiro ano com o i30 N TCR, estou obviamente muito feliz por voltar para defender o meu título com um Hyundai em 2019”, disse Tarquini. “Este ano foi muito competitivo. No próximo ano, espero que as corridas estejam ainda mais renhidas, com mais fabricantes e mais pilotos – incluindo os meus novos companheiros de equipa – em batalha. Juntos podemos agora trabalhar durante o inverno para nos prepararmos para a próxima temporada para garantir que o i30 N TCR esteja no topo da classificação novamente.”

Norbert Michelisz teve um ano com altos e baixos. O piloto húngaro é claramente um dos melhores do grid, mas acumulou alguns azares que desde cedo o colocaram a alguma distância do título, que também lhe escapou em 2017 com algum azar à mistura. Tem um carro competitivo, tem capacidade para chegar ao topo e apenas precisa de evitar os contratempos para chegar ao lugar onde deseja estar:

“Todos viram em 2018 o quão forte é o Hyundai i30 N TCR, com os resultados que eu e Gabriele fomos capazes de fazer. Juntos, tivemos uma temporada muito forte para a BRC Racing Team. Em 2019, poderemos estar de novo na frente, especialmente com o apoio adicional dos pilotos da Hyundai Motorsport Customer Racing. Tive um bom final de ano, com o pódio em Macau, e estou ansioso para voltar ao trabalho para me preparar para o início da próxima época.”

Uma das novidades é o regresso de Nick Catsburg. O piloto holandês apareceu no mundial de turismos pela Lada, numa altura em que a equipa fez uma reformulação no line up dos pilotos, juntando-se a Jaap Van Lagen e Rob Huff (2015). Deu nas vistas e mostrou grande potencial, tal como vinha a fazer nos GT´s pela BMW. Juntou-se ao projeto da Polestar no segundo ano dos suecos no WTCC e foi cedo um dos homens mais rápidos da equipa. Foi claramente uma das mais valias do campeonato do mundo de turismos e o seu regresso só pode ser visto como uma excelente notícia para a competição:

“Estou muito animado com a perspetiva de um regresso aos turismos. O WTCR provou ser um substituto digno e competitivo  do WTCC no ano passado e assisti todas as corridas com interesse e sempre tive o desejo de entrar ingressar na competição em 2019. Tenho que agradecer à BMW Motorsport em primeiro lugar pela oportunidade de competir no WTCR, juntamente com meus compromissos como piloto de fábrica da BMW e estou realmente ansioso para uma temporada completa de corridas competitivas com os M8, M6 e i30. Não posso esperar para trabalhar junto com eles no próximo ano. Ainda não corri com um TCR, mas o Gabriele acabou de ganhar, por isso tenho certeza de que ele me ajudará”.

Da BMW chega outro nome forte que também tem tradição no mundo dos turismos. Augusto Farfus dispensa qualquer tipo de apresentação. Farfus era presença habitual no WTCC até 2010 onde passou grande parte do tempo ao volante de um BMW, algo que ainda hoje continua a fazer. Depois da notícia da sua saída do DTM, ficou com tempo livre para ingressar no WTCR, enquanto tem as suas obrigações como piloto de GT da marca bávara, tal como Catsburg, desde 2006 que não compete num carro de tração dianteira e terá pela frente um novo desafio que certamente conseguirá superar, tal a sua experiência e qualidade:

“Estou muito grato pelo meu tempo e pelo meu sucesso nas corridas de GT, mas depois de ver o nível de competição no WTCR da FIA, estou muito entusiasmado por ingressar no grid de 2019. Será um novo desafio para mim. Ainda não pilotei um TCR – de facto a última vez que eu corri com tração dianteira foi em 2006. Estou entusiasmado por poder trabalhar para as equipas de clientes da Hyundai Motorsport para garantir que eu, e o resto dos pilotos do i30 N TCR no campeonato, possamos iniciar rapidamente os trabalhos para a próxima época.”

A Hyundai não está para brincadeiras e apresentou um quarteto de luxo e fica à espera que as restantes estruturas façam o mesmo. Mas para já o nível, que já era alto, está a subir cada vez mais e o WTCR promete mais e melhor que em 2018.

 

Um quarteto de luxo para os Hyundai no WTCR

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    Deixe um comentário

    Please Login to comment
      Subscribe  
    Notify of
    últimas VELOCIDADE
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png