Fórmula E, Berlim 2: Mais uma vitória para Félix da Costa

Por a 6 Agosto 2020 19:03

António Félix da Costa não teve, mais uma vez, adversários, e venceu pela segunda vez em Berlim, dilatando ainda mais a margem que detém no campeonato, que já colocou em números dificilmente recuperáveis pelos adversários. Mais uma magistral exibição do piloto luso que voltou hoje a fazer a pole-position, arrancou bem para a corrida, não meteu uma roda fora do sítio e venceu com todo o brilho, com o piloto da DS Techeetah a conquistar a sua terceira vitória da época.
Já os seus (anteriores) adversários mais diretos na luta pelo título, voltaram a não conseguir marcar pontos. Mitch Evans (Jaguar) e Alexander Sims (BMW Andretti), terminaram fora dos pontos em 12º e 20º, respetivamente.
Sebastien Buemi (Nissan e-Dams) foi segundo, a mais de três segundos, com o pódio a ficar fechado por Lucas di Grassi (Audi) que venceu uma dura batalha com Robin Frijns (Envision Virgin).

Sempre na frente da corrida desde o arranque, o piloto luso deixou para mais perto do fim da corrida as duas idas ao Attack Mode, respondendo dessa forma às recuperações de Buémi, que o fez antes do piloto da DS Techeetah. Em ambas as vezes Félix da Costa repôs uma margem mais significativa na frente, não permitindo dessa forma qualquer veleidade ao seu adversário mais direto, batendo-o por mais de três segundos.

Na fase inicial da corrida, um bom começo de Nyck de Vries, a partir do quarto lugar, forçou Alex Lynn (Mahindra) e Sébastien Buémi (Nissan) a defenderem-se o que permitiu a Félix da costa rapidamente escapar, cumprindo a primeira volta com cerca de um segundo de vantagem.

Mais atrás, Robin Frijns subiu para quarto, passando Alex Lynn, pouco depois fez o mesmo a Nyck de Vries e ascendeu ao terceiro lugar.

Pouco depois, azar para Buémi, que foi ao Attack Mode momentos antes de um Full Course Yellow. O suíço atacou de seguida, aproximou-se de Félix da Costa. Um pouco mais atrás, Lucas Di Grassi já tinha subido quatro posições, e chegou mesmo a segundo, isto quando faltam 15 minutos para o fim da corrida. Mas Buémi reagiu, recuperou a posição e voltou à perseguição da Félix da Costa que foi sempre controlando a margem, que descida e subia, volta sim, volta, não. Já mais perto do fim da corrida, Sébastien Buémi rodava um pouco à frente de um grupo composto por Robin Frijns, Lucas di Grassi, Stoffel Vandoorne, Sam Bird, Oliver Rowland e mais atrás Jean Eric Vergne, isto quando faltavam nove minutos para o final.

A seis minutos do fim, Félix da costa tinha 2.8s de avanço, e em condições normais a corrida estava resolvida, até porque Félix da costa tinha mais 1% na bateria que os adversários mais diretos. No entanto, voltou a cortar a meta com 0.0%, tal como a maioria dos pilotos da frente. Grande luta pelo pódio, com Lucas di Grassi a bater Robin Frijns e Stoffel Vandoorne, que realizou uma excelente recuperação a aprtir do 13º lugar da grelha. A sua dupla ultrapassagem a Sam Bird e Oliver Rowland (Nissan) por fora na curva seis foi mesmo à ‘pilotaço’ de F1. Atrás de Vandoorne, Edoardo Mortara foi oitavo com o seu Venturi, na frente do Porsche de Andre Lotterer.

Jean-Eric Vergne foi um desapontante 10º classificado, perdendo duas posições face ao lugar em que partiu. Uma má prestação do campeão em título, que se queixou do desgaste acentuado dos pneus traseiros.

Com Mitch Evans (Jaguar) em 12º atrás de Alex Lynn. Este foi um dia horrível para a BMW Andretti. Alex Sims ainda recuperou algumas posições depois de arrancar do pitlane, após uma penalização de 20 lugares na grelha, devido a troca de bateria resultante de um erro da equipa alemã. Já Max Gunther, desistiu cedo.

Com estes resultados, António Félix da Costa soma agora 125 pontos, mais 68 pontos que Lucas di Grassi e Stoffel Vandoorne que somam 57. Mitch Evans (Jaguar) soma 56 depois de duas corridas a zero. Sam Bird (Envision) é agora quinto com 52, os mesmos que Sébastien Buémi (Nissan).
Alex Sims (BMW) somou apenas dois pontos em duas corridas, e tem 48, mais três que Andre Lotterer (Porsche) que somou 20 ontem e hoje.
Para que se percebe o que aconteceu nestes dois dias, Félix da Costa converteu um avanço de 11 pontos em… 68. Nada mau…
Nas equipas a DS Techeetah soma agora 157 pontos), face aos 92 da BMW i Andretti Motorsport e 88 da Nissan e.Dams.

18 comentários

  1. Frenando_Afondo™

    7 Agosto, 2020 at 0:11

    Boa, que continue, muita sorte e traga o título para Portugal junto com a super-licença e quem sabe se uma equipa de F1 não se interessa por ele… Seria a cereja no topo do bolo.

  2. Frenanda_Afondo™

    7 Agosto, 2020 at 5:06

    Grande piloto! Que seja muito feliz e que mostre que em Portugal também há muito talento 👏😀

  3. rudicaraciola

    7 Agosto, 2020 at 9:14

    O Marko que reflita na asneira de não ter promovido este piloto à F1.

  4. Miguel Costa

    7 Agosto, 2020 at 9:53

    Este homem merecia estar num Red Bull.

  5. José

    7 Agosto, 2020 at 17:49

    Só 28 pontos!!! fraquinho 🙂

Deixe aqui o seu comentário

últimas Destaque Homepage
últimas Autosport