/todooterreno/cntt-campeonato-nacional-todo-terreno/campeonato-de-portugal-de-todo-o-terreno-afn-prossegue-em-reguengos/
Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AFN prossegue em Reguengos | AutoSport

Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AFN prossegue em Reguengos

Por a 23 Maio 2018 16:54

A Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal é a prova que se segue no Campeonato de Portugal de Todo-o-terreno AFN, e vai para a estrada nos próximos dias de 25 a 27 de Maio em Reguengos de Monsaraz. Depois da vitória de João Ramos na primeira prova da época e de Alejandro Martins na segunda aguarda-se com expectativa o nome do vencedor deste terceiro confronto.
A prova será composta por duas etapas num total de 383 quilómetros sendo 284 contra o cronómetro. A Baja arranca com a passagem pelo prólogo na manhã de sábado (10.30h) e termina no Domingo pelas 12.40h.

Recordemos como foi até aqui:

Baja TT do Pinhal: João Ramos entra a vencer

João Ramos e Victor Jesus entraram da melhor forma no CPTT 2018, vencendo e convencendo, num arranque de campeonato em que as condições de piso colocaram muitas dificuldades à caravana.

Há vários anos que João Ramos está entre os principais favoritos à conquista do título de TT, mas por um motivo ou outro, não o tem conseguido. Na Sertã, o piloto da Toyota Hilux esteve imparável, e nem quando apanhou (novamente) uma placa apontada para o lado errado e uma fita estrategicamente ‘desviada’ do sítio correto, o impediu de vencer todos os setores seletivos, prólogo incluído, vencendo com grande categoria uma prova em que só um problema mecânico com a Hilux ainda no Parque Fechado antes do arranque do segundo dia, o assustou.

Hélder Oliveira rebocou a Hilux alguns metros e apesar duma penalização de seis minutos, isso foi suficiente para o motor pegar, com o piloto a terminar o trabalho que tinha começado no dia anterior, vencendo a prova com à vontade, sendo que o seu principal adversário foi mesmo o estado dos pisos.
Para além disso, os que se esperavam ser os mais fortes adversários, Alexandre Franco, Alejandro Martins, Nuno Matos, Pedro Dias da Silva, todos foram ficando pelo caminho, o que facilitou a vida a João Ramos, embora, tendo em conta o que andou, dificilmente perderia esta prova.
Nuno Matos, era segundo, desistiu com uma transmissão partida no seu Opel Mokka Proto, Pedro Dias da Silva, era terceiro, teve problemas de embraiagem no seu Mazda Proto.
Antes, Alexandre Franco viu um tubo do óleo do BMW X1 Proto soltar-se, e teve que parar, isto depois de ter sido segundo no prólogo. Por fim, Alejandro Martins, que teve de abandonar depois de ficar sem tração dianteira na Toyota Hilux. Com o piso seco, ainda ‘dava’, mas como estavam os pisos, era uma missão impossível. Nomes ‘fortes’ que ficaram cedo pelo caminho, e também por isso, outros sobressaíram.

Com um novo navegador, Hugo Magalhães, e carro, a Ford Ranger, Pedro Ferreira terminou a Baja TT do Pinhal na segunda posição, lugar a que chegou depois das desistências de Matos e Dias da Silva, fazendo depois um grande trabalho, chegando mesmo a comandar a prova (fruto dos 6:00m de penalização de Ramos) à passagem de CP3, posição que perdeu depois de ter perdido vários minutos numa ribeira. A Ford Ranger ‘afogou-se’ várias vezes, Hugo Magalhães chegou a ter água quase pelos joelhos, mas Pedro Ferreira logrou tirar dali a sua máquina e a dupla prosseguiu em prova, terminando num belo segundo lugar, um bom prémio para a combatividade do piloto da PMF Racing.

A fechar o pódio terminaram Hélder Oliveira e Pedro Lima, que se atrasaram muito no prólogo, com o piloto a reportar uma situação anómala, referindo que ficou parado quase dois minutos, à espera que retirassem um concorrente atascado, tendo depois que rodar atrasado, perdendo mais tempo devido a concorrentes mais lentos.
Apesar desse contratempo, o piloto de Barcelos atenuou as perdas ao recuperar quatro posições, chegando ao terceiro lugar, uma boa posição para começo de campeonato.
Quarto lugar para Tiago Reis e Valter Cardoso, que com o Mitsubishi Racing Lancer ex-Miguel Barbosa, teve alguns percalços durante a prova, problemas na caixa de velocidades e mais tarde um toque que danificou a suspensão.
Lino Carapeta e Rui António levaram o Range Rover Evoque Proto à quinta posição, valendo-se da sua grande experiência para ir passando todos os obstáculos. Miguel Casaca e Pedro Tavares (Nissan Navara) foram sextos, na frente da dupla espanhola Luis Recuenco e Monica Plaza (Toyota Hilux).

Seis provas, seis vitórias seguidas para Rui Sousa e Carlos Silva que levaram a Isuzu D-Max a mais um triunfo no T2.
No T8 o triunfo foi para a dupla Hugo Raposo e Joel Lutas (Nissan Navara), que deixaram os segundos classificados, a mais de meia hora.
A fechar o top 10 terminaram Lepilliez Arnaud e Duple Cedric, num MITJET Off Road de duas rodas motrizes. Foi preciso muita coragem para terminar esta prova.
No 11º lugar ficaram Francisco Gil e Filipe Rasteiro (Mazda Proto), os vencedores do Desafio Mazda. Nuno Madeira e Miguel Costa andaram bem com o KIA Sportage TT, mas escorregaram na lama e perderam uma enormidade de tempo para saírem de lá.

Na Taça de Portugal Todo o Terreno, o triunfo foi para Tiago Santos e António Dias (Land Rover Defender), que deixaram a dupla Hugo Rodrigues-Luís Boiça (Suzuki Jimny) a 8m22s. Joaquim e João Calado (Nissan Terrano I) fecharam o pódio.
Foi pena a meteorologia não ter ajudado, mas a Baja TT do Pinhal foi o arranque perfeito para o Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, numa prova em que a Escuderia Castelo Branco esteve ao seu nível habitual, muito bem.
A competição regressa a 7 e 8 de abril com o Algarve a receber mais uma edição da Baja TT de Loulé.

Baja de Loulé: Triunfo de Alejandro Martins

Alejandro Martins e José Marques venceram a segunda prova do CPTT, conquistando a sua primeira vitória no campeonato em 2018. O piloto da Toyota Hilux aproveitou bem os problemas de João Ramos, que, em carro igual, foi traído pela caixa de velocidades. Hélder Oliveira e Pedro Ferreira ocuparam as restantes posições do pódio

Se com pisos estreitos e sinuosos João Ramos dominou na Sertã, no Algarve, com traçados rápidos e de muita condução, a sua prestação não foi diferente. No entanto, a cerca de 100 quilómetros do final da prova, o piloto teve problemas mecânicos, que o levaram a terminar apenas na quinta posição.
Quem aproveitou o infortúnio foi Alejandro Martins, que estava no sítio certo à hora certa, conseguindo assim a sua primeira vitória em 2018, o melhor resultado possível depois de ter tido problemas que o levaram ao abandono na Baja TT do Pinhal. No Algarve, esteve o mais perto que pode de João Ramos, e quando este teve problemas, ascendeu a primeiro, vencendo a corrida, fruto também de um andamento muito rápido ao longo de toda a prova.

Hélder Oliveira terminou no segundo lugar. O piloto de Barcelos esteve sempre na posição mais baixa do pódio, mas com o problema de João Ramos conseguiu chegar ao segundo posto da Baja de Loulé e assim conquistar o segundo pódio do ano, após o terceiro lugar na Baja do Pinhal: “A distância entre os adversários foi sempre muito curta, pelo que tivemos de imprimir, desde cedo, um ritmo muito forte. A pista da primeira parte do troço da tarde estava um pouco dura devido à passagem dos SSV. A segunda parte era já um pouco mais rápida e aí tivemos mesmo de forçar o andamento para tentar chegar à segunda posição, que conseguimos alcançar. Estamos muito satisfeitos por este segundo lugar e queremos ter a oportunidade de o segurar até ao final do CPTT”.

A fechar o pódio ficou Pedro Ferreira. O piloto do Ford Ranger também esteve sempre no quarto posto, estando sempre relativamente próximo de Hélder Oliveira e subindo ao pódio graças ao azar de Ramos, no entanto, o piloto também teve alguns problemas no primeiro dia de prova, não conseguindo desembaciar o vidro do seu carro. Pedro Ferreira também conseguiu o segundo pódio da temporada, uma vez que tinha terminado no segundo posto no Pinhal: “Esta segunda etapa, a Baja de Loulé, correu muito bem. Terminámos em terceiro lugar. No segundo dia já não tivemos problemas com o desembaciador do carro e rolámos ao nosso ritmo. Por outro lado, acredito que se no primeiro dia não houvesse quaisquer percalços teríamos feito um melhor tempo. As corridas são mesmo assim e ainda temos mais quatro provas pela frente até ao final do campeonato”.

Entre os T2 a vitória coube a Rui Sousa, que venceu destacado a prova, após Edgar Condenso ter problemas na parte final do evento, perdendo muito tempo (cerca de 41 minutos) nos últimos 140 quilómetros, terminando com um atraso de 43m45s para a liderança. Entre os T8 a vitória foi para Mário Duarte, que dominou a corrida a seu bel prazer, controlando nos últimos quilómetros a larga vantagem que conseguiu. Francisco Barreto foi quem mais próximo andou do piloto do Toyota RAV 4, mas mesmo assim terminou a 8m34s do lugar mais alto do pódio. Mário Mendes fechou o pódio, mas já a 45 minutos de Mário Duarte. Hugo Raposo, que venceu entre os T8 no Pinhal, foi forçado a desistir.

No Desafio Mazda o vencedor foi Pedro Dias da Silva. Já na Taça de Portugal, o vencedor foi Simão Comenda, que levou a melhor sobre Hugo Rodrigues, terminando com uma vantagem de 12m36s.
Entre os grandes azarados da prova algarvia estão Nuno Madeira e Alexandre Franco. Ambos os pilotos foram forçados a desistir ainda no primeiro dia, o primeiro devido ao motor do KIA enquanto Alexandre Franco viu a correia de distribuição do seu BMW Evo X1 partir-se, numa altura em que era segundo classificado. Alexandre Franco ainda voltou à prova no segundo dia, mas voltaria a não ter a sorte do seu lado, fruto de problemas de motor no seu BMW Evo X1.

Lista de Inscritos – CLIQUE AQUI
Guia da Prova – CLIQUE AQUI

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas CPTT -CAMPEONATO PORTUGAL TODO TERRENO
últimas Autosport
cntt-campeonato-nacional-todo-terreno