/ralis/wrc/wrc50-dia-de-festa-e-de-recordar-quem-nao-pode-estar-mcrae-burns-e-martin-holmes/
WRC50: dia de festa e de recordar quem não pode estar: McRae, Burns e Martin Holmes | AutoSport
 

WRC50: dia de festa e de recordar quem não pode estar: McRae, Burns e Martin Holmes


Portugal recebeu a Gala WRC50, que comemorou a 50ª edição do Mundial de Ralis, quando este se prepara para completar 50 anos no próximo Rali de Monte Carlo. Marcaram presença Campeões do Mundo que abrangem seis décadas, naquele que foi o momento que juntou mais campeões do Mundo de Ralis na história da disciplina.
É uma honra que tenha sido em Portugal, país onde se viveram momentos ímpares da história da modalidade. Alguns dos melhores de toda a história. Foram recordados muitos bons momentos, se há uma coisa que quem passa pelos ralis leva para a vida são ricas histórias para contar.
Este jantar foi muito mais do que o somatório de 28 títulos mundiais proporcionado pela presença de Loeb, Ogier, Röhrl, Grönholm, Vatanen, Biasion, Sainz, Solberg e Tänak. Foi o Derek Ringer a falar de Colin McRae, Robert Reid de Richard Burns, Michèle Mouton e Fabrizia Pons e as suas lutas num ambiente predominantemente masculino, a sempre alegre Tina Thörner, e destaco também o entusiasmo pelos ralis do atual presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, que referiu a diversidade do desporto que vai a locais como nenhum outro, e teve uma tirada muito curiosa que explica porque tem Robert Reid, antigo navegador de Richard Burns, como Deputy President for Sport, na FIA: “os co-pilotos são organizados, estruturados, mais do que nós pilotos, seguem as regras, querem ser pontuais
sempre”. Uma boa visão. Navegadores ao poder!
Sinceramente, só ficou a faltar no meio de tantas homenagens uma ‘palavrinha’ a um Senhor que muito deu ao Mundial de Ralis e que merecia ter estado ali, fosse de que forma fosse: Martin Holmes. No AutoSport não o esqueceremos nunca.