/ralis/wrc/carlos-reutemann-nos-ralis-foi-um-convidado-de-honra/
 

Carlos Reutemann nos Ralis, foi um ‘convidado de honra’


O talento de Carlos Reutemann não se evidenciou somente nas pistas. Também nos ralis se percebeu que era um piloto tão rápido quanto consistente e fiável. A sua primeira incursão num rali terá sido em 1980, quando foi convidado de honra para a edição inaugural do Rali Codasur, que mais tarde deu origem ao atual Rali da Argentina, e que nesse ano passou a ser pontuável para o WRC. Ao volante de um FIAT 131 Abarth da FIAT Itália e acompanhado por Mirko Perissutti, Reutemann, então na Williams e naquela que viria a ser a sua melhor temporada na F1, não se fez rogado e terminou a prova num excelente 3º lugar do pódio, atrás de Hannu Mikkola, 2º com um enorme Mercedes-Benz 500 SLC e do seu eventual companheiro de equipa, Walter Röhrl, também num FIAT 131 Abarth.
Em 1985, recebeu novo convite para a mesma prova, que nesse ano se chamava Marlboro Rally Argentina. Foi a edição maldita, que quase terminou com a vida de Ari Vatanen e, então com 43 anos, Reutemann fez a prova com um Peugeot 205 T16 da equipa oficial, a Peugeot Talbot Sport.
No final, nova subida ao 3º lugar do pódio, que ficou completo por Wilfried Wiedner, 2º com um Audi Quattro 2 e por Timo Salonen, que viria a sagrar-se Campeão do Mundo, com um 205 T16 semelhante ao seu. Nessa altura, já estava bem longe das competições e as luzes da ribalta eram outras – os ralis políticos.