Ricardo Moura: ”Estou muito triste, mas os ralis são assim”

Por a 19 Fevereiro 2017 14:23

Ricardo Moura ficava muito bem no palmarés como vencedor do Rali Serras de Fafe, pois nenhum outro piloto tem feito tanto nesta prova para vencer… sem o conseguir. Três vezes que o piloto açoriano desiste quando liderava a prova. É muito azar, mas os ralis são mesmo assim. De qualquer modo, o adepto dos ralis é ‘diferente’ e não esquece o que viu nos troços: “É o meu terceiro abandono consecutivo em Fafe, e sempre a liderar o rali. Agora foi mais perto do fim e custa imenso” começou por dizer Ricardo Moura, que se mostrou agastado pelo formato do rali, pois entende que são demasiadas classificativas sem assistência pelo meio: “A federação devia repensar este tipo de situações de muitas classificativas sem assistência. Tenho a certeza que com uma assistência a meio da manhã a ARC iria detetar problema na rótulo de suspensão. Se em vez de vir só reabastecer se fosse fazer uma pequena assistência iam detetar o problema. É verdade que os outros R5 são mais frágeis que o Ford Fiesta, mas aconteceu. Não estou a contestar os regulamentos, mas não há necessidade de seis troços sem assistência. Foi uma pena e um rali que tinha a certeza que iria ganhar. Estou muito triste, mas os ralis são assim” disse Ricardo Moura. Agora, daqui para a frente, é incerto: “Nunca esteve em cima da mesa fazer o Rali de Portugal. A participação nos Açores garante um prémio pecuniário, que é importante e não está fora de cogitação, se surgirem apoios, a internacionalização. Se tivesse um orçamento duas ou três vezes maior iria fazer provas do Europeu” disse Ricardo Moura.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

últimas Ralis
últimas Autosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png