Lembra-se de… Pedro Azeredo?

A primeira edição do RallySpirit também serviu para o regresso ao ativo de alguns nomes bem conhecidos dos ralis nacionais. Pedro Azeredo é um desses casos, já que, tirando uma participação esporádica nas 24 Horas TT de Fronteira, o piloto de Penafiel estava afastado da competição e dos ralis há 16 anos.

Campeão da Fórmula 2 e vice-campeão nacional de ralis em 1999, no último ano dos espectaculares Renault Mégane Maxi oficiais em Portugal, Azeredo esteve no RallySpirit ao volante de um Volkswagen Golf GTi, navegado pelo também consagrado Carlos Magalhães.

“Deixei o desporto automóvel por opção”, admite sem complexos. “Diverti-me imenso enquanto piloto e ainda me lembro como se fosse hoje de duelos com o José Carlos Macedo e com o Adruzilo (Lopes), na altura na Peugeot… Mesmo após o final da equipa Renault no campeonato nacional eu e o Macedo ainda fizemos uma época internacional nos Clio V6 na Velocidade. Foram anos fabulosos mas quando terminei a minha carreira descobri outros interesses na vida. Hoje gosto muito de andar de moto, gosto muito de passeios de jipe, passo mais tempo com a família. Mas aqui no RallySpirit, mesmo com um Golf de 110 cv, voltei a descobrir o prazer de pilotar. Acho que esse nunca se perdeu”, referiu Pedro Azeredo, que hoje trabalha no Grupo Salvador Caetano, cores que também defendeu como piloto no tempo dos Toyota Carina E.