/ralis/erc/rali-serras-de-fafe-andreas-mikkelsen-i-love-bacalao/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=rali-serras-de-fafe-andreas-mikkelsen-i-love-bacalao&utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=rali-serras-de-fafe-andreas-mikkelsen-i-love-bacalao
Rali Serras de Fafe, Andreas Mikkelsen: “I love ‘bacalao’” | AutoSport

Rali Serras de Fafe, Andreas Mikkelsen: “I love ‘bacalao’”

Por a 1 Outubro 2021 16:02

Andreas Mikkelsen reconhece que ter sido esquiador o ajudou a compreender melhor quais as trajetórias certas para ser um piloto rápido nos ralis

Andreas Mikkelsen é um simpático e talentoso piloto norueguês de 32 anos, sobejamente conhecido de todos os amantes dos ralis. Conta com três vitórias e 20 pódios no WRC e compete presentemente no ERC e no WRC2, liderando ambos os campeonatos, mas, numa conversa informal, na véspera do início do Rally Serras de Fafe e Felgueiras, contou-nos como tudo começou.
“Tive uma infância normal, fui um aluno regular e a minha vida esteve desde cedo muito ligada ao desporto. Esqui essencialmente, desde muito novo. Os ralis só vieram bem mais tarde, quando já tinha 15 ou 16 anos”, começa por dizer.
“Esquiava muito, porque toda a minha família tinha sido praticante e o meu objetivo era ir para as montanhas e tornar-me esquiador profissional. Mas tive uma lesão num joelho. Depois, guiei um carro de rali num lago gelado e gostei imenso, achei mesmo muito divertido e comecei a fazer mais e mais”, prossegue, confessando também que o esqui “foi uma boa base para compreender os ralis”.
“Estou convencido de que que encontrei um bom ritmo nos ralis muito rapidamente graças ao esqui. Encontrar as trajetórias certas e não derrapar demasiado é parecido com o que procuras num carro de ralis, por isso foi uma adaptação fácil”, reconhece.
Mikkelsen, filho de um importador de vinhos e de bebidas espirituosas e de uma mãe que interrompeu a carreira para acompanhar o filho na infância, confessa igualmente ser um amante da cozinha portuguesa.
À pergunta sobre um ingrediente que liga os nossos países, o bacalhau (codfish, em inglês), responde de imediato: “I love ‘bacalao’”. “Ainda ontem comi”, acrescenta, contando também que só o come em Portugal. Não o encontra na Noruega, o que é no mínimo estranho. Outros hábitos, porque nos mares do país não falta o ‘fiel amigo’ luso…
A terminar, Andreas Mikkelsen reconhece que sonha em regressar ao WRC ao mais alto nível e que se o desfecho da época for positivo como está a ser, a probabilidade de o sonho se concretizar é bastante boa.

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas ERC
últimas Autosport
erc