/maismotores/grandes-patrocinadores-marlboro-o-patrocinador-por-excelencia/
Grandes patrocinadores: Marlboro, ‘O’ patrocinador por excelência | AutoSport
 

Grandes patrocinadores: Marlboro, ‘O’ patrocinador por excelência


A Marlboro, talvez a marca de tabaco mais conhecida internacionalmente do grupo Philip Morris [hoje, Altria] não precisa de apresentações: ela mesma se encarregou, ao longo das últimas quatro décadas, de as fazer – divulgando-se pelo desporto automóvel em todo o mundo, estando e dando nome a equipas desde o WRC à F1, sem esquecer competições de Endurance, Turismo, GT e Sport Protótipos. Enfim, a Marlboro é como Deus: está em toda a parte… Mesmo que leis dos homens tenham limitado em muito a sua forma de estar e de se promover.
Mas falemos apenas de F1, onde chegou em 1972, com a BRM – equipa em que esteve até 1974, ano em que esta fechou. Nessa altura estava já com Frank Williams que, com chassis Isso, procurava garantir lugar na F1 – e com ele permaneceu até 1976, o ano antes da ‘explosão’ da Williams, com a Saudia e a TAG.
Também Arturo Merzario conseguiu o apoio da Marlboro para a sua equipa, que esteve na F1 entre 1977 e 1979. E o mesmo conseguiu o mexicano Hector Rebaque, em 1979, o último ano da sua equipa Rebaque…
Bom, mas se estes eram projetos pequenos, o mesmo se podendo dizer da Alfa Romeo (1980 a 1983), RIAL (1988 e 1989), BMNW Scuderia Italia (1988 a 1991), Forti (1995 e 1996) ou Minardi (1995), já a Ferrari e a McLaren são outras histórias.
Na equipa britânica, esteve presente entre 1974 e 1996 – conquistando títulos, triunfos e ficando famosa também pelas polémicas e intensas lutas entre dois ‘monstros’ das pistas, como eram Ayrton Senna e Alain Prost.
Senna, sempre na McLaren; Prost, quer na McLaren, quer na Ferrari, equipa onde [a Marlboro] está desde 1984, naquela que é a mais longa parceria publicitária na F1. A partir de 1995, a Marlboro foi mesmo o principal patrocinador da Scuderia e nem as regras que limitam a publicidade ao tabaco [o nome não pode ser exibido na maior parte dos países em que se realizam GP de F1, apenas o logotipo] fez diminuir o interesse da Marlboro. Que, desde 2010, partilha com o Banco Santander a primazia entre os ‘main sponsors’ da Ferrari.