Kartcross e Super 1600: Os destaques de domingo em Montalegre

Por a 12 Agosto 2019 13:15

O Circuito Internacional de Montalegre foi palco de grande provas ao longo de todo o fim de semana com a vinda dos Titans Rx, cujo programa integrou também duas categorias de suporte, que foram os Kartcross e os Super 1600, com larga adesão de alguns dos protagonistas nacionais do PTRX, Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy.

Kartcross

Pedro Rosário foi o português melhor classificado numa corrida disputada de princípio a fim, que foi ganha pelo espanhol António Miras, em Semog.

Miras e Ivan Chincilla discutiram a corrida de principio a fim e cortaram a meta separados por meio segundo. Os kartcross espanhóis, mais potentes pois o regulamento de “nuestros hermanos” assim permite, dominaram naturalmente o panorama.

Pedro Rosário partiu de quarto, mas rapidamente assumiu a terceira posição, tendo assistido de bancada à luta pela vitória.

Daniela Godinho foi outra das protagonistas da prova. Terminou a qualificação em terceira e durante a corrida teve um duelo impressionante com Rui Nunes, que levou a melhor na contenda, tendo sido quarto ao baixar da bandeira xadrez.

Digno igualmente de registo foi o facto de, todos os frente. terem tripulado chassis Semog Bravo.

Super 1600

Joaquim Machado, em Peugeot 208 S1600, venceu uma corrida em que a estratégia de ida à Joker lap foi decisiva… e que grande corida foi!

Mário Teixeira (Ford Fiesta S1600) e Rogério Sousa (Ford Fiesta S1600) discutiram a travagem para a primeira curva e Joaquim Machado, que também partia bem, ficava do lado de fora.

Os dois primeiros tinham uma espécie de “guerra sem quartel” durante a primeira volta e Teixeira levava a melhor, apesar de André Sousa (Peugeot 207 S1600), estar também completamente encostado ao para-choques do Fiesta.

Machado aproveitava para ir à joker lap e essa decisão foi a chave para a vitória. A partir daí fazia a corrida sozinho e ganhava tempo, enquanto todos os outros lutavam pelos lugares do pódio e seguintes.

Mais uma vez as idas joker foram decisivas e no regresso ao percurso principal Rogério Sousa não conseguiu evitar um toque na traseira do Citroen C2 S1600 de Celmo Guicho, que ficava fora de prova à quinta volta.

Machado recebia a bandeirada xadrez, Mário Teixeira era segundo, André Sousa terminava 1,4 segundos depois, seguido do irmão Rogério.

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
últimas CN RALLYCROSS
últimas Autosport