Sem-Título-1
 

Camille Jenatzy: O Diabo vermelho

Camille Jenatzy foi um dos primeiros pilotos da história do automobilismo desportivo. De nacionalidade belga, tinha a alcunha de Diabo Vermelho, por causa do seu cabelo ruivo e desgrenhado. O seu nome surge mais associado à La Jamais Contente, um veículo eléctrico com o qual, em 1899, foi o primeiro a ultrapassar a barreira dos 100 km/h. Todavia, o que muita gente desconhece é que Jenatzy foi um piloto versátil e corajoso, que não se limitou a bater recordes em estrada aberta e rectilínea, mas arriscou a vida nas corridas que, então, eram o máximo da competição, ligando cidades, pelo meio do trânsito caótico de carruagens puxadas a cavalos e pessoas.

Camille Jenatzy era filho de Constant, fabricante de produtos feitos de borracha – o que incluía pneumáticos, então uma coisa incipiente nos finais do século XIX.O belga estudou engenharia eléctrica e cedo se mostrou interessado na aplicação da tracção eléctrica em veículos automóveis. Algo que começou a fazer em 1898. A sua primeira tentativa de recorde foi a 17 de Janeiro de 1899 quando, na estrada de Achères, Yvelines, atingiu a velocidade de 66,66 km/h na distância de um quilómetro, aos comandos do CGA Dogcart.

Esse recorde foi efémero, pois ainda nesse dia foi batido pelo francês Gaston de Chasseloup-Laubat. Jenatzy revalidou-o dez dias depois, atingindo a velocidade de 80,35 km/h – logo de seguida batida outra vez pelo seu rival. Jenatzy, que ganhou em 1903 a Gordon Bennet Cup, então a mais famosa competição automóvel, teve um fim bizarro. No Outono de 1913, foi caçar com um amigo e decidiu imitar o rosnar de um urso. O amigo não teve dúvidas e matou-o com um tiro.