Mercedes e Pascal Wehrlein separaram-se

Por a 14 Setembro 2018 16:07

Menos uma dor de cabeça para Toto Wolff: o campeão de 2015 do DTM e piloto de Fórmula 1 na Manor e na Sauber, Pascal Wehrlein não renovou o contrato com a Mercedes, sendo um piloto livre no final de 2018.

O piloto alemão, atualmente no DTM, competição da qual a Mercedes se vai retirar, ficou sem opções e sem qualquer garantia de estar presente num campeonato competitivo debaixo da proteção da casa de Estugarda em 2019. Sem opções e com a certeza que não voltaria á Fórmula 1 com a Mercedes, Pascal Wehrlein decidiu, de comum acordo com a Mercedes, não renovar o contrato.

“O nosso programa júnior sempre apoiou pilotos jovens e talentoso, procurando oportunidades que fossem mais valias para a carreira desses jovens. Claro que nem sempre o caminho é direto e sem problemas e, por isso, há sempre a necessidade de avaliar as situações e saber quando é o tempo certo para terminar algumas relações. Infelizmente, não estamos em condições de oferecer ao Pascal um programa competitivo para 2019 e, assim, defendendo os seus interesses, decidimos, juntamente com ele, não renovar o contrato com a Mercedes, oferecendo-lhe, assim, uma oportunidade noutro lado qualquer que mereça receber o seu talento”.

Foi assim que Toto Wolff, num comunicado da Mercedes AMG F1, deu a conhecer o final do contrato com Wehrlein. “O meu contrato com a Mercedes termina no final de 2018 e decidimos em conjunto não o renovar. Procuro agora novos desafios e oportunidades e, neste momento, estou em conversas com várias equipas procurando um lugar para 2019. Nesta ocasião quero agradecer a toda a gente em Estugarda, Affalterbach e em Brackley, pelo apoio que me deram ao longo da minha carreira com a Mercedes. Está na hora de dar o próximo passo.”

Toto Wolff fica, assim, com menos uma dor de cabeça, restando, ainda, duas batatas bem quentes nas suas mãos: Esteban Ocon e George Russell. E não está a ser fácil encontrar forma de os colocar seja onde for. Veremos quem vai ser o próximo a deixar as fileiras da Mercedes e se o próprio programa Júnior da casa alemã sobrevive. Depois do que Toto Wolff disse há uns dias… será difícil!

6
Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of
rodbrm
Membro
rodbrm

Realmente o 1º passo para o divórcio ou a separação é o casamento.

mario
Membro
mario

Faz bem, porque não o ajuda em nada, só prejudica. Assim já não tem tantas portas fechadas. O próximo é o Ocon, ou passa para a Mercedes ou deve ir à vida dele.

Alfista
Membro
Alfista

Prefrmeria ver o Ocon na Mercedes que o Bottas

Eu_não_sou_o_frenando_afondo
Membro
Eu_não_sou_o_frenando_afondo

Vão fazer festa de despedida ou vai ser daquelas separações em que atiram os pertences dele pela janela?

Cágado1
Membro
Cágado1

Que peninha. Não provou e pronto, mais nada a dizer. Nem no regresso ao DTM tem estado à altura. Se é verdade que passar da F1 para o DTM não é fácil, olhe-se para o di Resta.

jo22101626
Membro
jo22101626

Este pode ser hipótese para a Toro Rosso

últimas F1
últimas Autosport