MEMÓRIA, Duelos para a eternidade: Gilles Villeneuve X René Arnoux (GP de França, 1979)


O desporto motorizado proporcionou algumas batalhas que ficarão para sempre gravadas na memória dos adeptos. Duelos onde dois homens superaram o limite das máquinas e, acima de tudo, superaram os seus próprios limites… e regressaram para contar. Rivais durante uma corrida, uma época ou a vida inteira, apaixonaram multidões nos ralis, na Fórmula 1 ou no motociclismo. No fundo, acederam à imortalidade pela sua coragem, talento e carisma.  Na maior parte dos casos, o AutoSport estava lá.

São os 105 segundos mais visionados da história da Fórmula 1. Se o Youtube trouxe uma mais-valia para a comunidade do automobilismo, é a possibilidade de qualquer adepto nascido nos últimos 30 anos poder ver “como se faziam as coisas” na altura. A história é conhecida: Gilles Villeneuve e René Arnoux entraram nas últimas três voltas do GP de França de 1979 a discutir o segundo lugar (atrás de Jean-Pierre Jabouille). Como noutras ocasiões, Villeneuve recusava-se a aceitar que o Ferrari 312T4 era mais lento que a concorrência. Graças a uma visível maior velocidade de ponta do seu Renault, Arnoux passou para a frente mas o astro do Quebec recuperou o lugar na penúltima volta… com uma travagem nos limites, claro. Foi então que os dois começaram a batalha que deu uma nova dimensão ao adjectivo “épico”. Isto na época dos motores turbo na Fórmula 1…