/formula1/f1/gp-gra-bretanha-f1-george-russell-nao-acredita-que-faca-copse-em-aceleracao-total/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=gp-gra-bretanha-f1-george-russell-nao-acredita-que-faca-copse-em-aceleracao-total&utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=gp-gra-bretanha-f1-george-russell-nao-acredita-que-faca-copse-em-aceleracao-total
GP Grã-Bretanha F1: George Russell não acredita que faça Copse em aceleração total | AutoSport

GP Grã-Bretanha F1: George Russell não acredita que faça Copse em aceleração total

Por a 29 Junho 2022 17:18

George Russell não acredita que possa fazer a curva 9 do circuito de Silverstone em aceleração total como fez no ano passado no Williams, apesar de ter maior apoio aerodinâmico com estes carros em curvas rápidas do que acontecia em 2021.
“Estou bastante confiante de que não o farei este ano, apesar de termos uma quantidade substancial de downforce a alta velocidade”, disse Russell.
O piloto britânico da Mercedes acredita que a oscilação causada pelo efeito solo não permita aos pilotos no geral, passar pela curva Copse em aceleração total tendo em conta o que aconteceu em Barcelona. “Fomos apanhados de surpresa quando em Barcelona não estávamos a oscilar na reta, mas depois chegámos às curvas, às duas curvas de alta velocidade – Curva 3 e Curva 9 – e estávamos todos a saltar”, disse Russell ao Motorsport.com, comparando de seguida as curvas catalãs com Copse em Silverstone. “Isso foi a 250km/h, a curva [9 de Silverstone, Copse] é a 300km/h. Portanto, não vai ser fácil de passar, mas vai haver várias equipas no mesmo barco”.
A Mercedes vai apresentar algumas melhorias no W13, o que levou Christian Horner da Red Bull a considerar a equipa de Brackley uma ameaça à sua equipa e à Ferrari, mas Toto Wolff admitiu que ainda “há uma grande montanha para escalar” com o desempenho do carro. Na opinião de Russell, embora as próximas corridas se realizem em circuitos convencionais, ao contrário do Mónaco e Azerbaijão, e até mesmo Montreal, isso não garante que o comportamento do carro seja melhor. “Agora, vamos para Silverstone, vamos para a Áustria, Paul Ricard, Budapeste – são circuitos tradicionais, mas os factos são, estamos a descobrir uma espécie de questões diferentes do nosso pacote em cada pista para que vamos. Portanto, não há garantias de que vamos ‘incendiar o mundo’ quando lá chegarmos”, concluiu o piloto.

Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
últimas Autosport Exclusivo
últimas Autosport
autosport-exclusivo
Autosport

GRÁTIS
BAIXAR