GP de Portugal de Fórmula 1: Lotação deve ficar-se pelos 27.500 lugares

Por a 18 Outubro 2020 18:40

De acordo com declarações de Paulo Pinheiro, administrador do Autódromo Internacional do Algarve à Agência Lusa, a lotação máxima do Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, evento que se realiza no próximo fim de semana, deverá ficar reduzida a 27.500 lugares. O parecer final da Direção-Geral da Saúde só deverá estar disponível amanhã, mas esse deverá ser o limite final. Recorde-se que inicialmente foram colocados à venda 46.000, valor que ofi sendo ajustado com a passagem do tempo. Nas últimas semanas, quando falámos com Paulo Pinheiro, essa lotação já estava nos 38.000, e ainda havia bilhetes para venda, mas neste momento, face à evolução da pandemia de Covid-19, o número final será reduzido.

Não vai ser possível acomodar espetadores no Peão, sendo que as pessoas serão encaminhadas para outras bancadas. Pode haver necessidade de cortar, mas Paulo Pinheiro revelou acreditar que, com as desistências que entretanto se verificaram, nomeadamente de estrangeiros, será possível assegurar a presença de todos os adeptos portugueses que compraram bilhete. Vamos ver qual será a palavra final da DGS, mas para já parece afastada a possibilidade de não haver público nas bancadas. Mesmo que se confirmem os 27.500 espetadores, será positivo e em linha das 30.000 pessoas que estiveram no GP da Rússia de Fórmula 1.

12 comentários

  1. N Jorge

    19 Outubro, 2020 at 1:14

    🤑🤕… Portugal no seu melhor. Não era preciso sermos tão desorientados e lambe-botas. Sempre sem nexo.
    Esperem para medir a asneira (a repetir no Moto GP). Preparem os ouvidos para gramar o berreiro dos futebois, dos da música, da noite, etc… Uma balburdia e um desatino. Daqui a pouco volta tudo para a toca.
    Vejam na tv.

    • Pity

      19 Outubro, 2020 at 10:05

      Só volta tudo para a toca, se as pessoas forem irresponsáveis. Se cumprirem as recomendações da DGS, máscara, distância, etc, o perigo de contágio fica reduzido. Mas é preciso que TODOS cumpram

      • rfz

        19 Outubro, 2020 at 12:08

        vão cumprir como têm cumprido noutras situações …

        • Pity

          19 Outubro, 2020 at 12:46

          Claro que há sempre quem não cumpra, mas a maioria dos que não cumprem, são jovens que se limitam a festas particulares e afins. Esses não têm dinheiro para pagar bilhetes para verem F1, provavelmente, nem se interessam. A grande questão, é que o mundo não pode parar, caso contrário, não morremos da doença, morremos da cura.
          Pessoalmente, só saio quando é mesmo necessário, para compras e afins, mantenho sempre a máscara, seja nas lojas, nos transportes ou na rua. E olhe que me custa bastante, em especial tapar o nariz, mas se é necessário, só tenho é que aguentar.

  2. Pedro Cunha

    19 Outubro, 2020 at 11:45

    Ou seja. Quem pagou menos por um bilhete vai para o lugar de que pagou bem mais? Não tenho nada contra ninguém mas isso também não me parece justo.

    • Campos

      19 Outubro, 2020 at 11:59

      Não sei como será, mas certamente não será como está a dizer.
      Quem tiver nessa situação deverá ter que pagar a diferença ou optar por não ir e reembolsar o valor, será também por essa via o decréscimo do nº de pessoas, sem ter que cortar naqueles que tem o bilhete e vão.
      Vamos pensar na seguinte possibilidade, se tiverem só lugares livres nas bancadas onde o preço é mais elevado, certamente poucos vão pagar a diferença de preço, logo ao optarem por não ir cortam logo 5000 ou mais lugares e ficam dentro dos 27500.

      • Pity

        19 Outubro, 2020 at 12:54

        Pelo que depreendo da notícia, a decisão de não haver peão, será da DGS e a única forma de evitar devolver os bilhetes de peão, é distribuir essas pessoas pelas bancadas, provavelmente pelas bancadas menos atractivas.
        Como diz o ZecaPower, não é muito justo, mas é melhor do que nada.

        • Campos

          19 Outubro, 2020 at 13:13

          Sim, certamente que é da DGS, é mais fácil controlar pessoas com lugar sentado do que pessoas que se podem deslocar e criar ajuntamentos.
          As pessoas que compraram para bilhetes para zona peão não tem culpa pelo decisão da DGS, agora ao ponto de irem para a bancada principal, por exemplo, pelo preço da zona peão não acredito que assim seja.
          Só quem tiver nessa situação pode responder ao certo.

          • Pity

            19 Outubro, 2020 at 13:24

            Sim, só quem lá vai estar saberá ao certo mas, especulando, talvez o AIA opte por subir um degrau, digamos assim, em todas as categorias de bancadas. O peão “sobe” à bancada mais barata, os desta, à bancada de valor seguinte… e por aí fora. Talvez seja a forma mais aceitável de contentar todos.
            Quem lá for, verá, e espero que veja uma grande corrida.

          • Pedro Cunha

            19 Outubro, 2020 at 14:00

            Porque por exemplo, a bancada Portimão. Estamos a falar de 200€ de diferença. E agora vão para lá pessoas que pagaram quase 300€ e quem pagou 100€. E na bancada principal acontece a mesma coisa. Para isso tinha toda a gente comprado os bilhetes peão.

          • Pity

            19 Outubro, 2020 at 14:17

            Se tivessem adivinhado, acredito que sim 🙂 É complicado, de facto, até para a organização.

          • HellRun

            19 Outubro, 2020 at 23:41

            Se eu fosse da organização, perante a hipotese de ter de devolver 10.000 peões (sejam quais forem os numeros) ou pô-los numa bancada mais cara, desde que MANTENDO O NUMERO INICIALMENTE PREVISTO PARA ESSA bancada, nem olhava para trás. Do ponto de vista legal, se fosse preciso, invocavam a figura da força maior, e ninguem podia objectar. Se eu fosse um dos que que tinha comprado o bilhete de 300 paus, desde que o que digo atras fosse garantido (manter lotação prevista), também não tinha nada a dizer. A não ser que não me quisesses misturar com os plebeus, claro.

Deixe aqui o seu comentário

últimas F1
últimas Autosport