F1: Trocar uma dupla de um GP para outro… é preciso recuar a 1994 com a Lotus


É preciso recuar a 1994 para que se encontre uma equipa que tenha trocado a sua dupla a meio da temporada, ao mesmo tempo, duma corrida para a outra. Aconteceu com a Lotus-Mugen/Honda, num ano que Pedro Lamy se recorda bastante bem, porque foi precisamente com o piloto português que as trocas na equipa começaram nesse ano, e logo por muito más razões. A maioria lembrar-se-à bem do grave acidente que Lamy sofreu nos testes de Silverstone, num ano terrível para a F1 (Senna tinha morrido a 1 de maio em Imola, Ratzenberger um dia antes no mesmo circuito, Karl Wendlinger, quase morreu no Mónaco, onde sofreu uma grave comoção cerebral).

Por isso a FIA andava aflita e Lamy testava modificações que visavam tornar a F1 mais segura. Ironias! O seu Lotus entrou em pião a quase 250 Km/h entre Abbey Curve e Bridge, uma zona da pista que não era especialmente perigosa, mas o Lotus de Pedro Lamy, na altura um jovem com 22 anos, galgou a rede, e ficou positivamente desfeito, com o piloto, ainda agarrado à sua bacquet ser projetado para dentro de um túnel de passagem sobre a pista. Partiu as pernas, e teve mais algumas lesões menores tendo que realizar um longo período de recuperação.

Nesse contexto, Alex Zanardi substituiu-o em Espanha, sendo que Pedro Lamy só regressaria mais de um ano depois, já com a Minardi. Quanto à Lotus, manteve a nova dupla junta em seis Grandes Prémios, mas na Bélgica teve que ser Philippe Adams a avançar para o lugar de Zanardi, que teve um grave acidente nos treinos em Spa, na saída do Raidillion. Zanardi regressou em Itália, ao lado de Johnny Herbert. Na corrida seguinte, mais uma troca, com o regresso de Philippe Adams para o lugar de Zanardi, e após o GP de Portugal, nem Philippe Adams, nem Johnny Herbert, que foram substituídos na corrida seguinte, o GP da Europa, por Eric Bernard e Alex Zanardi. O que não faltou à Lotus nesse ano foram trocas e baldrocas. E na corrida seguinte ainda houve mais uma, pois foi a vez de Bernard ficar de fora e dar o lugar a Mika Salo. Nesse ano – que foi o último até 2010 – a Lotus teve como pilotos Pedro Lamy (Corridas 1 a 4), Alessandro Zanardi (5–10 e 12, 14 a 16), Philippe Adams (11 e 13), Éric Bernard (14), Mika Salo (15 e 16), Johnny Herbert (1–13).