F1: Há que dar crédito à Ferrari

Por a 20 Abril 2017 10:27

James Allison, agora diretor técnico na equipa Mercedes, afirma que se tem de dar crédito pela forma como a Ferrari surgiu em 2017 a lutar pelo título de F1. O engenheiro britânico deixou o mesmo posto na equipa de Maranello a meio da temporada de 2016, e especulou-se se a sua saída numa altura crucial iria afetar o desenvolvimento do SF70H, que acabou por ganhar duas das três corridas já disputadas este ano.

Depois da saída de Allison o desenvolvimento do novo Ferrari ficou a cargo de Mattia Binotto, com o presidente da marca, Sergio Marchionne, a antecipar o SF70H como um carro para andar na frente e lutar pelo título. Allison considera que seria injusto retirar crédito às pessoas com quem trabalhou antes de deixar Maranello. “Deixei a Ferrari há muitos meses e juntei-me à Mercedes há apenas poucas semanas, e tudo o que a Ferrari fez este ano deve-se às pessoas que trabalharam estes meses”, referiu o britânico. “Da mesma forma, na equipa com quem trabalho agora há pessoas a quem se deve a fantástica performance  ao longo destes meses”, sublinhou.

Em jeito de brincadeira, James Allison afirma que o único crédito que lhe podem dar nos meses que esteve ausente da F1 – por razões familiares – é da jardinagem a que se dedicou nesse período: “Apenas posso ser responsabilizado pelo estado do meu jardim neste momento, que resulta do meu esforço nos últimos seis meses”.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

últimas FÓRMULA 1
últimas Autosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png