F1, Guenther Steiner: “A Liberty precisa de ter cuidado com o aumento do calendário”

Por a 18 Maio 2018 14:10

Guenther Steiner, líder da Haas, alertou para os perigos do aumento do calendário. Miami deverá entrar no calendário em 2019, numa temporada já de si longa que em 2018 tem 21 provas, um record. Steiner acredita que a Liberty tem de ter cuidado para não levar as equipas aos seus limites – e também tem receio de que os espectadores não desejem uma agenda tão cheia.

“Acho que há talvez uma corrida que não vai acontecer no próximo ano e depois voltamos para 21. Há sempre entradas e saídas. 22 provas acho que ainda seria possível, mas está a ficar difícil. Descobriremos este ano, quando temos as corridas triplas, o quão difícil isso é. Vamos ter dificuldades e talvez descobrir que existe um ponto de limite para o público. Precisamos de ter cuidado. Acho que a Liberty é muito boa, o que eles estão a tentar não é aumentar a quantidade de corridas, mas melhorar a qualidade”, disse Steiner.

Visualizou de 4 artigos abertos

O AutoSport limitou a 4, o número de artigos
que poderá ler sem fazer login
Para continuar a ler livremente
os artigos AutoSport,
por favor faça login aqui
Caso não esteja ainda registado,
faça agora aqui o seu
registo gratuito
  • Não é possível alterar o nome de utilizador.

    Deixe um comentário

    2 Comentários em "F1, Guenther Steiner: “A Liberty precisa de ter cuidado com o aumento do calendário”"

      Subscribe  
    Notify of
    Alfista
    Membro

    O calendário maior não acho assim tão mau. O problema são as penalizações. O material leva muito mais desgaste.
    Deveriam aumentar número de motores, componentes etc

    Didica
    Membro

    Não sei se será grande ideia aumentar o calendário. Se por um lado agrada a ideia de termos mais corridas para seguir, corre-se também o risco de banalizar a F1.

    Mas efectivamente deviam aumentar o número de componentes. Esta redução para 3 unidades de potência (ao lá como chamam agora aos motores) é ridícula. Daqui a pouco só podem trocar de motor de 2 em 2 anos (passe o exagero)… A génese da F1 não é essa.

    últimas FÓRMULA 1
    últimas Autosport
    AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/motosport.png